Resenha: O diário de M.H

Escrito por Thalles Paraíso, O Díario de M.H. nos transporta para um mundo sobrenatural nunca antes visto, onde o personagem principal, Malcom Hammet caça as criaturas sombrias deste, e de outros mundos, enquanto o álcool o caça.

“Se nascemos sabendo a beleza da luz, do outro lado nascemos sabendo a sedução das trevas.”

   Começamos o livro com a volta de Malcom ao mundo da caçada, já que ele havia abandonado essa profissão, e sua volta é marcada com o resgate de Jackie, mantida em cativeiro e que foi vendida por sua família para um ser sobrenatural . Ele pensa que a garota que saiu levando uma sacolada de dinheiro, iria desaparecer pelo país, mas não foi isso que aconteceu. Malcom não havia resolvido todo o problema da garota, e por isso ela volta para colocar um ponto final nessa história, e para acabar com a força do mal que a perseguia.

“Existe mais de uma maneira de viver a vida, além de vivê-la na tristeza. Só porque perdemos algo, Mal, não quer dizer que não podemos seguir em frente.”

   Em um belo dia Malcol desperta em seu escritório – sim ele mora em seu escritório – e encontra uma fila de espera para ser atendido por ele, e Jackie comandando tudo isso. Ela havia espalhado bilhetes e cartazes sobre o trabalho de Malcom, e choveu pessoas com problemas de outro mundo em sua porta.

“– Nesse ramo de trabalho, Jackie… – Reconsidero minha forma de dizer. – Para se fazer o que eu faço, Jackie, não existe um curso preparatório. Ninguém realmente te ensina, não tem como estar preparado para o momento em que algo que ninguém nunca viu antes aparece, e eles aparecem, você entende?””

   O livro é separado por dias, como um diário mesmo, e o mais legal é que as páginas possuem linhas, como se fosse uma página mesmo, e no decorrer da história vamos acompanhando alguns casos de Malcom, como a solução do problema da Jackie e muitos outros, até chegarmos em um caso diferente de todos os outros, um que se Malcom não resolver, vai acabar tendo o mesmo fim que seu amigo: com a cabeça decepada, vivendo para sempre em um mundo de trevas e dor. Para sempre tipo, para sempre mesmo.

“A vida é cíclica e o amor tem que acabar para que possa começar de novo. Isso não é algo à se temer.”

   O que dizer sobre Malcom? Ele perdeu alguém que amava, caiu na bebida, não cria laços com ninguém, acaba se prendendo pouco a pouco em Jackie, e percebemos que às vezes ele se torna um pouco louco e a narrativa acompanha sua loucura, já que é narrado em primeira pessoa. Confesso que isso às vezes me deixou confusa, mas nada que atrapalhasse a leitura. Sobre a escrita de Thalles só tenho uma coisa para dizer: já na primeira linha do livro eu me cativei por sua escrita, e soube que iria gostar. Pude ver como o mundo criado pelo autor é muito bem construído e acima de tudo como ele tem talento.

Bem meus alienígenas, se vocês gostam de um bom terror, suspense, e uma pitada de comédia, não pode perder O Diário de M.H

 

Página do autorCompre na Amazon Compre no Saraiva

Escrito por Letícia de Pinho da Silva
Sou escritora de alma e coração. Tenho 22 anos, e muita vontade de cursar letras. Tenho o canal e blog, Mundo de Fantasias, e possuo um sério problema: amo séries, livros e filmes mais do que o normal.